Casa do Pequeno Cidadão Nossa Senhora Aparecida

Sobre

Desde 2007 o serviço já acolheu 170 crianças e adolescentes (última atualização dezembro/2020)

Início de Funcionamento 05/12/2007
Número de acolhidos 15
Faixa etária 0 a 17 anos e 11 meses
Horário de Funcionamento 24 horas, 07 dias por semana
Localização Zona Oeste de São Paulo
Rua Aliança Liberal, 84 – Vila Leopoldina – CEP: 05088-000
CNPJ 04.436.297/0001-93
Recursos Humanos 01 coordenadora, 01 assistente de coordenação, 03 técnicas (Psicóloga, assistente social e pedagoga), 15 educadoras sociais, 01 auxiliar de berçário, 03 administrativos, 01 auxiliar financeiro, 05 operacionais, 01 motorista, 01 captadora de recursos
  • Recepção das crianças e adolescentes;
  • Cuidado integral dos acolhidos:
  • Oferta de moradia;
  • Acompanhamento junto às famílias ( de origem ou substitutas);
  • Articulação junto às varas da infância e da juventude;
  • Articulação com outros serviços que compõem o sistema de garantia de direitos;
  • Fortalecimento da autonomia da criança, do adolescente e do jovem e preparação para o desligamento do serviço;
  • Formação continuada da equipe;
  • Realização de projetos.
  • Promoção da escuta das famílias e dos acolhidos;
  • Encontros das famílias com os acolhidos e acompanhamento durante as visitas na instituição;
  • Contato telefônico ou por cartas, ampliando os vínculos;
  • Acionamento da rede social de apoio à família (CREAS, CRAS, UBSs, Escolas, entre outros) para que preste devidamente atendimento às famílias.
  • Informação a família sobre o processo judicial de acolhimento;
  • Trabalho com a família para a possível reinserção familiar dos acolhidos;
  • Visitas domiciliares aos familiares para conhecer e acompanhar a dinâmica familiar e o desenvolvimento socioeconômico e organização da mesma;
  • Fortalecimento do vínculo familiar, incentivando os pais e/ou responsáveis para o acompanhamento e participação da vida de seus filhos;
  • Promoção da convivência familiar e comunitária (saídas e passeios para parques, praças, museus, entre outros);
  • Acompanhamento quando há liberação para a criança/adolescente passar os finais de semana com a família;
  • Motivação das potencialidades e capacidades da família para lidar com a demanda da criança/adolescente;
  • Ajuda a criança/adolescente no desenvolvimento das suas habilidades, sua autonomia e apropriação das suas histórias;
  • Escuta e espaço para diálogo e discussão com as próprias crianças sobre as perspectivas para o futuro de cada uma delas;
  • Garantir atendimento nas áreas da educação e saúde conforme a necessidade de cada um;
  • Encaminhamentos específicos para psicoterapias, fonoaudiologia, entre outros atendimentos se necessário;
  • Acompanhamento de todo o processo de desligamento das crianças do serviço;
  • Orientação e acompanhamento dos processos de adoção realizados pelo serviço;
  • Elaboração, encaminhamento e discussão com a autoridade judiciária da Vara da Infância e Juventude – VIJ e/ou Ministério Público; incluindo relatórios trimestrais sobre a situação de cada criança e adolescente no que diz respeito a: possibilidade de reintegração familiar; aplicação de novas medidas ou, esgotados dos recursos de manutenção na família de origem ou ainda a necessidade de encaminhamento para colocação em família substituta;
  • Elaboração do Plano Individual de Atendimento – PIA e Estudo de Caso de cada criança/adolescente ao ser acolhido, elaborando a revisão do PIA a cada 6 meses;
  • Participação nas reuniões dos técnicos dos SAICAs, com mediação dos técnicos da VIJ.

Projetos Realizados

Projeto direcionado aos acolhidos que estão sem contato com a família e ainda não estão em processo de adoção, que prevê que padrinhos e madrinhas possam ser uma referência afetiva para estas crianças e adolescentes.

Visa a elaboração do álbum, composto por fotos, desenhos e histórias, de cada criança/adolescente durante o período de acolhimento, com o incentivo à leitura e vinculação.

Consiste na avaliação diária e individual das atitudes e comportamentos das crianças e adolescentes, realizadas em conjunto pelos educadores de plantão, tanto no período diurno, quanto no noturno, propondo novas estratégias de trabalho estimulando a conviverem harmonicamente com as diferenças, respeitando os limites da convivência social, tendo como princípios básicos o amor próprio e aos outros.

O projeto visa o esclarecimento de dúvidas, no formato de roda de conversa (dirigida), através da utilização de livros infantis, vídeos e produção de desenhos, abordando assuntos como: o cadastro de pretendentes a adoção, cadastro nacional e internacional, períodos de convivência e adaptação, possibilidade de separação do grupo de irmãos.

Realizada semanalmente desde 2014 com a Psicóloga e Assistente Social da Casa do Pequeno Cidadão, com o objetivo de discutir sobre a rotina da casa, esclarecer dúvidas, propor novas atividades, trabalhar as relações dentro da Casa, oferecer um espaço para desenvolver a reflexão, opiniões e sugestões.

Através de encontros com as crianças e adolescente, de acordo com sua faixa etária, visa proporcionar um momento de interação, diálogo, descobertas sobre diversos temas relevantes como: respeito, diferenças, sexualidade, bulliyng, entre outros. Para os encontros são utilizadas rodas de conversa, desenhos, livros, vídeos, jogos, entre outros.